17_capa_pasalix_pi.png

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que o Brasil ocupa o primeiro lugar em depressão e transtornos de ansiedade entre 18 países, e junto a isso, o sistema de atenção aos transtornos psiquiátricos do Brasil deixa a desejar.

Isso se deve, principalmente, à falta de informação e preconceitos que existem em torno dos problemas da mente. Muitos assumem a ansiedade e depressão como “frescura”, um capricho pessoal ou até mesmo uma espécie de fraqueza moral. Quando, na verdade, trata-se de transtornos médicos, com origem em fatores biológicos, sociais e emocionais.

Diante essa realidade, é importante que cada indivíduo preste atenção a alguns sinais e sintomas que podem sugerir a necessidade de uma avaliação profissional cuidadosa e possível tratamento especializado. Confira:

1 – É ansiedade ou depressão? Apesar de muitas vezes estarem interligadas, a ansiedade tem como característica principal estado de preocupação e agitação debilitantes. Já a depressão, em geral, apresenta-se por meio de grande tristeza, sentimento de inutilidade e desesperança.

2 – Quando há mudança em hábitos como comer, beber ou dormir, tanto para o excesso quanto para redução, e podem ser sinais tanto de ansiedade quanto de depressão.

3 – Quando ocorre apatia e perda de interesse nas atividades que anteriormente traziam prazer e contentamento, assim como um sentimento de que a vida perdeu o sentido, acompanhado de uma sensação de vazio interior.

4 – Quando há mudanças bruscas no estado de humor, ficando facilmente irritado e se criticando excessivamente.

5 – Quando há fadiga persistente de forma que nem uma noite de sono adequado ou um dia de repouso restabeleça a disposição.

6 – Quando há desejo de isolamento, que pode indicar queda no interesse na vida, que ‘não vale a pena’, ou por sentir que será extremamente cansativo.

Recomendados

Estresse e ansiedade  – Taxas de incidência
Leia mais...
Alimentos que combatem a ansiedade
Leia mais...
Como lidar com as incertezas da pandemia
Leia mais...
Evolução das doenças relacionadas à insônia
Leia mais...

0 comments

Responder